Grande Alma, de verdade.


Tem um trecho da Autobiografia de Gandhi que acho interessante. Um trecho em que uma senhora cristã e muito bem falada e querida por Gandhi, lhe diz que ele não deveria mais frequentar a casa dela, porque ele era uma má influência para seu filho de 5 anos. Explico… Gandhi era vegetariano e essa família não era. Então um dia ele estava jantando lá e enquanto o menino comia um pedaço de carne, ele comia uma maçã, porque não gostava de comer os animais. E aquilo tocou o menino que passou a rejeitar alimentação carnívora. A mãe, preocupada com a saúde do filho, não permitiu mais que Gandhi se dirigisse ao menino, para não “prejudicá-lo”.

Achei interessante, porque, pelo ponto de vista dela, ela estava sendo uma mãe cuidadosa, preocupada, dedicada e tudo o mais. E ela realmente era uma boa alma e boa cristã. Pelos relatos dele, não se pode dizer que ela era uma espécie de religiosa hipócrita, pelo contrário. Então a questão, ao meu ver, se concentra apenas em falta de informação com relação ao vegetarianismo, e na minha opinião pessoal, também um pouco de excesso de zelo materno. Uma coisa é você proibir uma pessoa de má índole de se aproximar de seus filhos, outra completamente diferente e excessivamente protetora, é você proibir uma pessoa de boa índole, de alma amorosa e bondosa, de se aproximar de seus filhos por questões de escolha da alimentação. Na minha opinião, má influência é algo bem mais relativo à questões morais que à questões de escolhas de modo de vida, mesmo porque, acho até importante para a formação dos filhos que eles entrem em contato com tipos diferentes de viver que aquele que ele tem no lar. É uma forma prática e boa de ensinar a beleza da diversidade, e que há pessoas de bem em modos de vida diferentes daquela que escolhemos para nós.

Achei mesmo curioso que uma alma como Gandhi tenha passado por algo assim, vindo de um casal de amigos tão íntimos e queridos que ele tinha. Ser tido como má influência e impedido de frequentar o lar deles por causa da forma como ele se alimentava, é estranho, não é? Logo ele que foi símbolo do amor e da não-violência! Tem mesmo de tudo nesse mundo, e mesmo as almas mais amorosas e espiritualizadas passam pelas provações que as almas mais egoístas e ignorantes do amor passam. Uma coisa é um sexólatra ou viciado em drogas ser apontado como má influência para criancinhas, outra coisa é Gandhi passar por isso! E a forma como ele reagiu foi digna de ser exemplo para todos nós. Compreendeu, respeitou e se afastou, continuando a amá-los e a nutrir por eles a mesma amizade afetuosa, sem no entanto, lhes visitar mais. Tem que ter muita humildade mesmo para ter uma atitude não nobre e digna diante de tamanha injustiça e rejeição dos afetos mais queridos. Grande Alma, realmente!

Anúncios

Um comentário sobre “Grande Alma, de verdade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s